Setor hoteleiro de Jundiaí supera faturamento de 2020

 

O setor hoteleiro de Jundiaí registra aquecimento em seus negócios e, de janeiro a dezembro de 2021, seu faturamento já supera o do ano passado inteiro. Segundo dados da Unidade de Gestão de Governo e Finanças (UGGF), nos dez primeiros meses deste ano o setor faturou R$ 27,4 milhões, 8% a mais que em 2020 (R$ 25 milhões). A projeção é que chegue a R$ 35 milhões de faturamento até dezembro, o representando uma alta de 40% na comparação entre os dois anos.

Jundiaí possui hoje 24 hotéis cadastrados na UGGF, dos quais seis são de grande porte e correspondem a 65% do total faturado pelo setor. O cálculo não leva em conta pensões e pousadas. De janeiro a outubro de 2021, esses seis hotéis faturaram R$ 19,7 milhões.

“Quando pensamos no cenário de 2020, o que estamos vivendo agora é um grande salto no crescimento dos negócios”, afirma o gerente geral dos hotéis Adagio e Ibis Budget Jundiaí, Erich Biller. Com 20 anos de experiência no setor, quatro deles em Jundiaí, Erich diz que nos dois hotéis que gerencia o crescimento neste ano bateu a casa dos 70% quando comparado com o do ano anterior. “E em dezembro, ainda que haja uma diminuição do turismo de negócios, projetamos um bom momento para o turismo de lazer, e esperamos um crescimento de 40% a 50% em relação ao nosso faturamento de outubro”, explica.

Benefícios como a alíquota mais baixa do ISS (veja mais abaixo) e uma boa localização geográfica fazem de Jundiaí uma cidade diferenciada para investimentos em hotelaria, segundo Erich. “Aos finais de semana é nítido o aquecimento de nossos negócios, o turismo de lazer está avançando”, declara o gerente. “São pessoas que vêm para Jundiaí passear nas rotas turísticas, em parques e em outros locais atrativos.”

Menor alíquota
A Prefeitura de Jundiaí, com o objetivo de fomentar negócios e gerar mais empregos na cidade, mantém a alíquota do ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) em 2% para o setor do turismo. O estabelecimento dessa porcentagem mínima – a máxima é de 5% – beneficia diretamente empresas não apenas do setor hoteleiro, mas também de agenciamento de viagens, organização e promoção de eventos, entre outros. Recentemente, a Prefeitura também estabeleceu a alíquota do ISS em 2% para o setor de aviação executiva.

Parimoschi: “o turismo apresenta grande perspectiva de crescimento”

“O turismo e a aviação executiva caminham juntos e, por isso, nada mais natural que buscar um benefício para esses setores”, explica o gestor de Governo e Finanças, José Antonio Parimoschi. “Nossa gestão entende a necessidade de se alcançar um ambiente favorável de negócios na cidade, para que o setor produtivo possa investir e gerar empregos. E nesse momento de pós-pandemia, o turismo apresenta grande perspectiva de crescimento, com o retorno de seus trabalhos e uma demanda grande de pessoas em busca desses serviços.”

Em pesquisa realizada pelo Departamento de Fomento ao Turismo, da Unidade de Gestão de Agronegócio, Abastecimento e Turismo, entre os meses de julho e agosto deste ano 100% dos empreendimentos consultados disseram registrar aumento de fluxo turístico recente e 83,3% dos entrevistados já identificam um volume de turistas maior do que no período pré-pandemia.

Além disso, 54,5% dos empreendimentos já recontrataram funcionários ou contrataram mais colaboradores para esse novo período. “Esses números demonstram o potencial de crescimento do setor, bem como o reaquecimento do segmento, tendência que deve ser ampliada nos próximos meses”, declara o gestor de Agronegócio, Abastecimento e Turismo, Eduardo Alvarez. “Também observamos que 62,5% dos empreendimentos estão satisfeitos ou muito satisfeitos com o processo de recuperação econômica de suas empresas”, observa a diretora do Departamento de Fomento ao Turismo, Marcela Moro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *